Posted on Deixe um comentário

Você parou para pensar em você? Mude um hábito inato – as desculpas

otimista

autoanálise é um momento só nosso! É um momento único para refletirmos sobre onde estamos em vários aspectos! É a chave para dominar a vida! É um exercício muitas vezes doloroso, principalmente, por enxergarmos os próprios erros. Olhar para dentro de nós, sem preconceito e disposto a detectar o que precisa ser modificado é um dos exercícios mais difíceis e complexos da vida.

Cada um de nós é reflexo da hereditariedade e do ambiente em que vive e a maioria das pessoas vive de maneira mecânica. Acordamos no automático -, acordamos, comemos, trabalhamos, estudamos, nos divertimos, dormimos e muitas vezes não compreendemos e nem procuramos saber o motivo de não sermos felizes como gostaríamos e as desculpas para as mudanças surgem como bálsamo da tristeza que teima em permanecer.

João Cordeiro em seu novo livro, “Desculpability”, fala sobre as desculpas que damos o tempo inteiro e afirma que estas desculpas nascem conosco, não se desligam e não cessam. É um modelo mental inconsciente! Como assim? Já parou para pensar que temos o hábito de culpar os outros e de achar que todos os problemas que esbarramos, é dos outros e não nossos problemas. É como se o problema fosse sempre externo: dos irmãos, dos pais, do cônjuge, do governo, da empresa, do chefe, do amigo, do vizinho, do MUNDO! Dificilmente, segundo o João Cordeiro, olhamos para dentro de nós e detectamos qual é o problema e qual a nossa participação nele. O autor vai além quando afirma que essas desculpas são o mal do século, e é um mal muito sério que invade e faz parte da nossa sociedade.

O correto seria trazer a responsabilidade dos problemas para nós mesmos, mas há a tendência de normalmente nos colocarmos como coitadinhos e nos vitimamos. Será que assim fica mais fácil? Sim, com certeza. Olhar para dentro de nós é caminhar na contramão do que acontece há tempos na nossa sociedade. Somos uma sociedade que dá importância ao TER muito mais do que a SER. Uma sociedade contaminada por crenças e hábitos individuais em detrimento com o coletivo. Não poderia ser diferente, não é mesmo?! Não somos incentivamos a termos responsabilidades como um cidadão preocupado com o outro, como nas décadas passadas. Para confirmar todas as constatações descritas no artigo o autor usa uma frase de Rui Barbosa (jurista, diplomata, filósofo, escritor) que parece que foi escrita hoje, mas ela é de 1914. Diz ele: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”. Vivemos um momento que comportamentos egoístas são frequentes. O que falta? Refletirmos. Todos nós sabemos que o que é certo e errado. Depois da reflexão precisamos colocar em prática a autoanálise e, consequentemente, vamos nos deparar com nós mesmos e nos responsabilizar pela nossa vida. Vamos agir como donos, e vamos entregar novos resultados: novas atitudes.

Nas empresas há muitas pessoas que dão desculpas o tempo todo. Novamente trazer a responsabilidade para si é uma tarefa quase impossível para a maioria. Estas pessoas compartilham com os seus colegas a falta de vontade de resolver o que precisa ser mudado de lugar dentro da MENTE e do coração. TUDO é uma questão de detectar e escolher sentir diferente.

Por isso, precisamos de mais otimismo. Se não conseguimos passar por uma porta, que passemos por uma janela ou até mesmo encontrar outra porta. Vários especialistas já aceitam que a mudança de comportamento de dentro para fora muda qualquer cenário por pior que ele pareça ser. No futuro irá acontecer algo positivo, uma luz surgirá no fim do túnel, mesmo que no presente esteja tudo escuro e sem perspectiva de melhora imediata.

Ah, otimismo! Você é a nossa disposição para enxergarmos o lado bom como resultado. É enxergar o lado bom de todas as situações da vida. Dar espaço para o pessimismo e as desculpas para nossos problemas do dia a dia é um caminho triste e sem perspectiva e esperança para a resolução dos problemas. Então, opte em mudar o hábito de dar desculpas para TUDO. Seja feliz!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.