Posted on Deixe um comentário

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: construindo estratégias para VENCER

felicidade-trabalho

Por Andréa Cordeiro

Planejar é decidir aqui e agora o que fazer no futuro. Ele é um processo contínuo, intencional, coordenado e integrado orientado para tornar realidade o objetivo futuro. Mas, para alcançá-lo você precisa inicialmente escolher pessoas-chave dentro da empresa para participar da elaboração do plano estratégico que tem como objetivo principal nortear sua empresa.

Este documento normalmente é anual, porém algumas empresas optam em desenvolvê-lo a cada dois ou cinco anos. Este tempo vai depender do produto comercializado e da estabilidade econômica do país.

O plano estratégico é um documento bem dinâmico e é usado para direcionar a sua empresa nova e/ou em funcionamento e, o mais importante, é que deve ter prazo definido para a sua execução e aferição dos resultados.

A eficiente utilização do Plano estratégico reduzirá as surpresas e direcionará a tomada de decisão para que haja mais segurança nas suas opções de escolha. É importante saber que para que este documento traga resultados positivos para a sua empresa faz-se necessário que você tenha a consciência da sua importância e necessidade. Ressalta-se, principalmente, que o Plano estratégico fará parte do seu dia a dia independentemente do tamanho da sua empresa, e será feito em conjunto com todos os funcionários, gerentes, diretores, supervisores, entre outros.

Para que o plano estratégico seja feito adequadamente é necessário seguir algumas etapas detalhadas citadas a seguir:

As etapas básicas para a formulação do plano estratégico são:

  1. a) Análise FOFA: forças e fraquezas internas da empresa e oportunidades e ameaças externas a partir das variáveis econômicas, culturais, políticas, demográficas, entre outras;
  2. b) negócio;
  3. c) missão;
  4. d) princípios ou valores;
  5. e) visão;
  6. f) objetivos e metas;
  7. g) estratégias;
  8. h) metas;
  9. i) plano de ação: 5W2H.

Vamos conhecer mais profundamente cada etapa!

A primeira etapa, análise FOFA – interna e externa, deve ser elaborada uma lista contemplando todas as forças e fraquezas da empresa, por exemplo, atendimento personalizado é uma força e falta de gerência é uma fraqueza. Importante nesta fase é levantar informações do atendimento, dos produtos, da localização, do treinamento dos funcionários, enfim, informações que revelam tudo que tem de bom e o que precisa ser melhorada no negócio. Já a análise externa deve se levantar informações das oportunidades e ameaças das variáveis econômicas, culturais, políticas, demográficas, entre outras. Estas informações são encontradas nos jornais de circulação regional (http://www.correioweb.com.br/) ou nacional (http://www.folha.uol.com.br/) e revistas como a Isto É (http://www.istoedinheiro.com.br/), Veja (http://veja.abril.com.br), Exame.com (http://exame.abril.com.br), G1 (http://g1.globo.com/), entre outras.

Já a segunda etapa, tanto o negócio, missão, princípios ou valores, são definidos a partir da filosofia da empresa a partir do que ela acredita ser e de como ela se posiciona no mercado.

Logo em seguida, a terceira etapa é a elaboração da visão, objetivos, metas, estratégias, metas e plano de ação que definem aonde a empresa quer chegar e como irá alcançar.

Por fim, um gestor da sua empresa ou você mesmo irá finalizar o plano estratégico e, em seguida, divulgar o negócio, missão e princípios para o público interno (funcionários e gestores) e externo (consumidores e público-alvo) na homepage da empresa se houver, intranet, mural, corredores, entre outros meios. Já a visão, objetivos, estratégias, metas e plano de ação devem ser divulgados apenas para o público interno (funcionários, gestores).

Entendido para que serve o plano estratégico e quais são as suas etapas chegou a hora de e detalhar cada uma delas para melhor assimilação do conteúdo abordado.

O acompanhamento interno (forças e fraquezas) e externo (oportunidades e ameaças) é um ponto importante para ter êxito na elaboração do plano estratégico, pois é a partir deste levantamento que todas as outras etapas são formuladas. Para se obter sucesso você precisa estar atento as mudanças positivas e negativas tanto nas informações de dentro da empresa como as de fora. Na definição do negócio é importante para entender o ramo de atividade da empresa e, posteriormente, pensar nos benefícios da empresa em relação aos seus clientes internos e externos. Por exemplo, a Nike vende artigos esportivos e define o seu negócio como atitude. Já a Kopenhagen vende bombons de chocolate e define o seu negócio como presente. Percebe-se que o negócio é a definição da filosofia da empresa. Ideal definir o negócio com uma palavra apenas.

A missão define a razão de existir da empresa e para que isso aconteça você terá que responder quatro perguntas: o que a empresa faz? Como a empresa faz? Onde ela faz? E qual responsabilidade social? Deve ser feito um pequeno texto com verbo no infinitivo.

Os princípios são os valores da empresa, são os ideais e a excelência no atendimento é um valor e um ideal. Normalmente utiliza-se o nome da empresa para desenvolver os princípios, assim fica mais fácil à sua memorização. Exemplo: Comprometimento, Ética, Integração, Proatividade e Prontidão. Fonte: http://blog.df.sebrae.com.br.

Já a visão é maior objetivo para a organização. É um desafio a longo prazo para ser alcançado. Este objetivo deve ser possível de ser atingido por todos. Ele não é um sonho apenas, deverá ser viável. Exemplo da Visão da Kopenhagen: “Ser um grupo competitivo que atue de forma abrangente no segmento alimentício, através de um portfólio de produtos com qualidade, representado por marcas fortes, com características e propostas únicas”. Fonte: http://www.kopenhagen.com.br.

Os objetivos, estratégias e metas são as etapas que definem aonde a empresa quer chegar. Importante lembrar que devem ser mensuráveis para garantir que seja avaliado o seu alcance. Por exemplo: Aumentar as vendas em 15%, para o ano de 2017, passando de um faturamento anual de R$ 240.000,00 para R$ 276.000,00.

As estratégias são o caminho para alcançar os objetivos e metas e devem ser formuladas para cada objetivo. O ideal é utilizar a tabela 5W2H que é um checklist das atividades que precisam ser realizadas por pessoas-chave dentro da empresa, quer dizer, as pessoas que estão envolvidas no plano estratégico.

Exemplo:

Plano de ação – 5W2H

Objetivo 01: Satisfazer os clientes.

O que fazer? Por que Onde Quando Por quem? Como Quanto Posição
Treinar os funcionários Reciclagem (processo de vendas) Empresa White Consultores – Asa Norte março e abril de 2017 Consultora Andréa Cordeiro Palestras, elaboração de cases de sucesso, dinâmicas e simulação do processo de vendas. R$ 1.000,00 por funcionário A ser feito a partir de outubro.

Nota-se que para cada objetivo definido no plano estratégico é imprescindível à utilização da tabela 5W2H. Assim, você terá condições de acompanhar as atividades desenvolvidas pelos funcionários-chave envolvidos no plano e analisar se a médio e longo prazo a sua equipe terá condições de alcançar os objetivos traçados.

Boa sorte!

Sucesso!

Posted on Deixe um comentário

Coração, meu bem, se acalma. Vai passar!!!!

love-you-heartPor Andréa Cordeiro

Acordei mais uma vez com o meu coração apertado. Tentei entendê-lo, mas imagino que tenha a ver com o que venho sentindo nos últimos tempos. Estou há tempos me sentindo desconectada de mim e das pessoas. Quero algo diferente e não sei o que é. O que será que me atormenta? O que tem me tirado o sono nos últimos tempos? Você tem se sentindo desta forma?

Se a resposta for sim, então, você pode estar sofrendo de ansiedade. Tudo parece não fazer sentido, parece que a vida saiu do trilho, os pensamentos estão sempre voltados para sentimentos negativos, não consegue se controlar, explode por qualquer motivo, está sempre tensa, agitada, o sono não vem com facilidade, enfim, você entrou em um combate interno e certamente irá atrapalhar a tua vida e a tua saúde mental e física.

O que fazer com essa tal ansiedade? Primeiro precisa descobrir o que te perturba. Eu sei que é difícil aceitar, mas é necessário enfrentar os nossos fantasmas. Ah, fantasmas! Estes parecem invisíveis aos nossos olhos só que são tão reais. Depois precisa decidir qual caminho precisa seguir. É isso! Terá um caminho que deve escolher, levanta a cabeça, respira e segue em frente. Visualiza um caminho com rosas, nele haverá espinhos, mas há também beleza e um perfume inebriante. Você também pode pensar em uma viagem de trem. Entramos e sentamos. Logo muitas pessoas sentarão ao nosso lado, mas em algum momento da viagem elas irão descer. Cada uma seguirá o seu próprio caminho.  Siga o caminho que te fará feliz. Ser feliz é uma escolha. E só você pode fazer esta escolha. Enxergar uma vida plena depende de como você enxerga o copo pela metade. Ele pode estar metade vazio ou metade cheio.

Se entregue a felicidade. A vida é curta. Curta-a diariamente. Tudo tem uma saída. É só dar o primeiro passo. Boa sorte!

 

 

 

 

 

Posted on Deixe um comentário

Busco a felicidade no outro?

mulher puxando o cara.png

Quando mocinha eu me imaginava ao lado de um príncipe, bonito, educado, charmoso, rico e em um cavalo branco. Não havia um estereótipo, pois sempre gostei mais da energia do que da embalagem. Sorri ao lembrar! Em minutos, eu saia do transe daquela SUPER viagem de contos de fadas e tudo voltava à realidade. Eu, muitas vezes, me sentia frustrada! Não encontrar um príncipe me fazia mal. Eu pensava: por que só eu não encontro o príncipe dos meus sonhos? Hoje eu entendo o motivo! Ele NÃO existe!

Mas, eu vivia em conflito com outros pensamentos que surgiam vez ou outra. Eu me perguntava: Por que eu preciso de um príncipe? Por que preciso dele para me sentir segura? Por que preciso casar, ter filhos e viver feliz para sempre com um príncipe do mundo moderno? Nossa! Eram tantas indagações e eu NUNCA consegui entender esta dinâmica que alguém criou e ficou como sendo a única alternativa da felicidade. Então, ser e estar feliz depende de casar e ter filhos?

Aí um dia eu estava olhando o horizonte e me fiz uma outra pergunta: Qual é o sentido da vida? Quer dizer, o verdadeiro sentido da vida? Uau! Que pergunta! A partir daí fui levada, sem querer, a observar tudo ao meu redor. Neste momento, eu não havia achado o príncipe para me fazer feliz, não havia casado, não havia tido filhos. Passei a enxergar a natureza, o canto dos pássaros, os objetos e as pessoas. Tudo parecia tão harmônico. Todos iam e viam para algum lugar. Alguns saiam para o trabalho, outros para a escola, outros para a igreja, outros para o parque (…). Uns estavam acompanhados, outros sozinhos. Porém, todos estavam seguindo o fluxo da rotina do dia a dia. Eu observava o semblante das pessoas e, a grande maioria, estava envolvida com os seus pensamentos e com a sua própria vida. Quanto mais eu observava, mais eu me perguntava: o que move essas pessoas? Trabalho? Amor? Dinheiro? Relações? Religião? Estes questionamentos me levaram a um lugar que eu nunca havia estado antes. No passado, buscava a felicidade no outro, depois passei a tentar entender a dinâmica da vida, e, logo depois, passei a tentar entender a morte. Era como se eu tivesse me colocado em uma montanha russa. Ora ela estava sem rumo, ora ela estava nos trilhos, ora descarrilhada. Quantos sentimentos controversos eu senti ao refletir sobre a felicidade, a vida e a morte. Vivemos para morrer? Quantas perguntas sem resposta? Quando passei a fazê-las, mudei o foco da minha VIDA. Não faz mais sentido buscar a felicidade no outro. Será que encontrei o sentido da vida?

Posted on Deixe um comentário

Caminho para a FELICIDADE

caminho-para-felicidade

Me vi solteira depois de tomar uma das decisões mais difíceis da minha vida, separar. Passei muito tempo pensando em como seria a minha vida sozinha. Sozinha? Não. Solteira. Temos uma maneira errada de enxergar este momento. Acredito que seja por vivermos em um país ainda muito machista, mesmo que já tenha melhorado se comparado há poucas décadas. Funcionava assim: se eu nascesse mulher eu tinha que casar, ter filhos, educá-los e morrer. E hoje? Depende do seu ciclo familiar. Há casos que a mulher primeiro se especializa, casa, tem filhos e morre. Há outros que ela cresce, se especializa, casa, não tem filhos e morre. Outros ela cresce, não casa, tem filhos e morre (…) são tantas variáveis que, com certeza, escolhemos o caminho que nos faz mais feliz. Será? Depende de novo. São tantas convenções que muitas vezes tomamos decisões apenas por acharmos o mais certo. Mas, o que é o certo?  Por que precisamos fazer do jeito que todos esperam? Por que não fazer do nosso jeito?

Quer casar? Faz um checklist de quem você é e, em seguida, faz um checklist do que deseja que o outro tenha (valores, religião etc). Feito isto: siga em busca do teu amor.

Quer viajar? Faça um checklist dos lugares que deseja conhecer e se entregue.

Quer ter um relacionamento aberto? Busque alguém que pense parecido com você, com certeza, terão muitas experiências novas. Imagino que algumas fantásticas e outras que servirão como aprendizado.

Quer ser livre? Seja! Se liberte! Se permita seguir o teu caminho. É isto mesmo. A vida é tua!

Não esquece que as suas escolhas dependem da sua vontade, da maneira que te fará feliz. Nele haverá pedras, mas haverá um caminho. E este vai te levar para o lugar que você escolher. Escolha sempre ser FELIZ.

Olhe ao seu redor. Perceba a pessoa que você é. Identifique os teus sonhos (…) siga-os. Eles irão levá-la para o local que você quiser.

Posted on Deixe um comentário

AS CINCO FORÇAS DO MERCADO

empresas.jpg

Por Andréa Cordeiro

No mercado que você comercializa seus produtos e/ou serviços, com certeza, há concorrentes que utilizam inúmeras estratégias para conquistar seus clientes e, consequentemente, aumentar o faturamento. Por este motivo, é imprescindível que haja um monitoramento de tudo que acontece a sua volta, para isso, você precisa conhecer o seu ambiente empresarial. Por isso, você deve utilizar uma ferramenta chamada “As cinco forças do mercado”. Vamos entender como ela funciona:

É importante lembrar que a análise do ambiente onde uma organização está inserida é o ponto de partida para a elaboração de uma estratégia competitiva. Sabe-se que devem ser observados o ambiente externo ou macro ambiente e o ambiente interno ou ambiente setorial. Assim, percebeu-se a importância de reconhecer as forças que exercem influência no âmbito do ambiente competitivo de cada organização. Entender essas influências pode ser determinante para o sucesso do seu empreendimento e podem ser utilizadas em seu próprio benefício.

Então, vou citar os fatores que você vai analisar. Feito isso, o levantamento vai dar a você subsídio para definir todas as estratégias que podem ser utilizadas para enfrentar a concorrência:

  • Ameaças de novos entrantes,
  • Rivalidade entre as empresas existentes,
  • Poder de barganha do fornecedor,
  • Poder de barganha dos compradores e
  • Produtos ou Serviços substitutos.

Ameaças a Novos Entrantes. Trata-se da possibilidade ou viabilidade de novas empresas entrarem naquele mercado específico. Descobrir se uma nova empresa será aberta no seu ramo de negócio é importante para qualquer empresário, pois ele terá mais tempo de criar estratégias que irão reter seus clientes. E, assim, minimizar a queda nas vendas. Ex.: tenho uma sapataria em um shopping, por isso, tenho que ficar atento a possibilidade de abertura de outra sapataria no mesmo shopping e em outros. Descubro esta informação nas reuniões mensais com os lojistas e visitando os shoppings concorrentes.

Rivalidade entre as empresas existentes. É quando as empresas concorrem no mesmo mercado e querem atingir o mesmo público-alvo. O empresário precisa levantar informações sobre o produto, preço, forma de pagamento, atendimento, infraestrutura, estratégias de comunicação dos concorrentes para assim, conseguir definir qual será seu valor agregado, quer dizer, como fará o cliente comprar de você e não comprar do concorrente.

Poder de Barganha dos Fornecedores.  A existência de poucos fornecedores possibilita um aumento do controle de preços e o surgimento de cartéis e oligopólios. Neste caso, o empresário fica na mão dos poucos fornecedores que existem no mercado. Assim, eles terão mais força que o empresário na negociação das compras dos produtos ou insumos. Então, o ideal é encontrar um fornecedor que você consiga negociar melhor o prazo de entrega, forma de pagamento e qualidade do produto. Mas, há mercados que existem muitos fornecedores, neste caso, o empresário terá mais poder em relação a eles. Aí terá que fazer parceria com alguns para comprar os produtos com menor preço, por exemplo, assim, terá condições de aumentar a sua lucratividade.

Poder de Barganha dos compradores. Os clientes têm um poder alto de negociação com as empresas quando há uma concorrência acirrada entre elas. As negociações acontecem no preço, na forma de pagamento, nos descontos, na entrega, enfim, quando o cliente consegue algum benefício da empresa da qual ele compra o produto ou um serviço específico.

Produtos ou Serviços substitutos. As organizações que atuam em um determinado setor podem sofrer a concorrência de empresas oriundas de outro setor. Ex.: as empresas de festa de formatura, às vezes, são substituídas por viagens.

Esse modelo de negócio dará a você (empresário), informações importantes da sua empresa e do mercado. E, como consequência, terá mais informação para definir as suas estratégias competitivas como qual produto vender na sua empresa, como deve lidar com seus consumidores, como pode melhorar a negociação feita com seus fornecedores, se resguardar em relação a ações da concorrência, enfim, levantar informações e usá-las para obter o sucesso desejado.

Vamos à pratica

 

Observe o modelo que deve ser seguido:

1 Mapeie se há novos concorrentes (Ameaça de novos entrantes)

Levante se na proximidade de sua empresa existe algum concorrente se estabelecendo.

Exemplo: dê uma volta no bairro onde está a sua empresa e verifique se alguma empresa concorrente vai entrar no mercado. Normalmente há uma placa com nome do engenheiro responsável e/ou construtora e o nome da empresa com ramo de atividades nas reformas e construções. O segundo passo é prestar atenção aos anúncios dos meios de comunicação tais como rádio, jornal, TV, internet, outdoor, panfletos, entre outros.  Pois, a maioria das empresas que entram no mercado fazer algum tipo de comunicação da empresa/marca. Assim, poderá levantar dos futuros concorrentes.

2 Perfil dos concorrentes (Rivalidade entre as empresas existentes)

Levante o perfil das empresas que concorrem com a sua. Mapeie pontos como: produto e suas características, preço, forma de pagamento, atendimento, formas e estratégias de comunicação utilizada pelos concorrentes.

Exemplo: Contrate um cliente oculto para levantar informações sobre o seu concorrente ou escolha um bom funcionário para fazer este levantamento. As informações mais importantes a serem pesquisadas são: qualidade do produto, preço, forma de pagamento, atendimento, infraestrutura e estratégias de comunicação. Você também vai fazer a mesma análise dentro da sua empresa. Por fim, crie uma planilha com todas as informações levantadas dos concorrentes e compare-as com o levantamento feito dentro da sua empresa.  Aí terá condições de saber qual setor precisa ser melhorado.

3 Perfil dos teus fornecedores (Poder de barganha dos Fornecedores)

Levante o perfil de todos os fornecedores que vendem o produto que você precisa. Mapeie os pontos fortes e fracos na hora de negociar entrega dos produtos, preço, forma de pagamento, renegociação de pagamento dos produtos vendidos.

Exemplo: faça um levantamento dos fornecedores que existem no mercado. Logo depois, faça uma planilha para cada fornecedor contendo: qualidade do produto, qualidade do atendimento, preço, prazo de entrega e forma de pagamento. Com isso, analise-os um por um. Por fim, terá um diagnóstico de cada um. Então, saberá qual é a melhor opção para ser seu fornecedor. 

4 Levante o perfil do teu comprador (Poder de barganha dos compradores)

Levante o perfil do teu consumidor. É importante surpreendê-los do início ao fim da compra.

Exemplo: Verifique no seu negócio como o consumidor se comporta na hora de efetuar o pagamento, pois há negócios que o consumidor pede mais descontos que outros, pois tudo depende a relação que você tem com o dono ou com o gerente. Por exemplo: eu tenho um cão e sempre vou à mesma clínica veterinária aonde ele toma banho, corta as unhas, toma vacina, eu compro a ração mensal, o xampu, remédios, entre outros produtos. Percebe-se que sou uma cliente que sempre consome na clínica. Então, às vezes peço descontos para o proprietário e ele sempre me concede, pois sou fiel ao pet.

 5 Levante informações com o seu consumidor  (Produtos ou Serviços substitutos)

Todo consumidor tem suas prioridades na hora de efetuar a compra: para atender as suas necessidades básicas como água e comida ou para satisfazer seus desejos que lhe trará status ou prestígio ao consumir determinado produto.

Exemplo: faça uma pesquisa (ver artigo Como elaborar um questionário de pesquisa) com seus clientes para saber quais são os produtos que ele deixa de comprar da sua empresa para comprar de outra de ramos diferentes.

Por exemplo:  uma escola de inglês infantil para crianças a partir de 06 anos e uma escola de instrumentos musicais. Os pais podem optar por uma das duas, às vezes. Terão que escolher o que desejam para o filho nesse momento da sua educação infantil – estudar inglês ou música? 

Por fim, junte todas as informações relevantes para a tomada de decisão do seu negócio. Sucesso!

Posted on Deixe um comentário

A IMPORTÂNCIA DA MARCA

marca-3
A marca da sua empresa e/ou do seu produto/serviço deve representar a sua identidade que tem a ver com o como você quer ser percebido pelo mercado, pelo público-alvo (pessoas que você quer que compre de você) e pelos consumidores. A identidade da marca é a visão que a própria organização tem de si. É a maneira como a empresa quer ser vista. Ela também define o nível de qualidade e dá passa maior segurança Ela é composta de imagens, símbolos, percepções, sentimentos as quais produzem um conceito global. A marca identifica e seleciona os produtos e/ou serviços, e, consequentemente, protege o consumidor, pois uma marca consolidada no mercado transmite aos seus clientes valores como: segurança, qualidade, respeitabilidade, confiança, satisfação, garantia, et cetera.
Existe no mercado marcas que têm as mesmas características, preços similares e os mesmos produtos. E todos cumprem a sua função básica: satisfazer uma determinada utilidade. Então, o que fazer para se diferenciar? Depende do produto/serviço que comercializa e, principalmente, das pessoas (público-alvo) que pretende atingir. Segue o passo a passo para criar uma boa marca:
1 Crie uma marca fácil de lembrar;
2 Crie uma marca que seja tendência de mercado;
3 De fácil pronúncia; e
4 Original.
E como criar a marca? Existem várias formas que são: as inventadas pelo gestor (empresário). Aqui o empresário irá criar algo original por ser algo novo. Pode ser usada à contração de alguma palavra, por exemplo. Pode também criar uma marca que chamamos de marcas arbitrárias que cria uma conexão entre a marca e o objeto que representa a partir de um símbolo. Já as marcas sugestivas são aquelas que sugerem algo, como por exemplo, a Kibon. Você também pode usar o teu nome ou o nome do lugar que a empresa foi fundada. E a última e não menos importante é a Marca descritiva, que são aquelas que descrevem o produto. Por exemplo: Bom ar = bom ar. Não esqueça! O importante é criar o seu valor, o seu posicionamento a partir da marca.

Posted on Deixe um comentário

A relação esfriou! Nos tornamos outras pessoas (…)

desencontro

Um dia esbarrei em você e o meu coração parou. Nossa! Como você era bonito (a), charmoso (a), inteligente, educado (…). Começamos a conversar e tudo encaixava. Que sintonia! Os dias se passaram e ficamos pela primeira vez. Que beijo! Que pele! Foi mágico! Meses se passaram e o sentimento que sentíamos um pelo outro só aumentava. Em alguns meses já morávamos juntos. Alguns anos depois oficializamos. Mais alguns anos, tivemos um filho.
Já viveu algo parecido? Tenho certeza que sim. É avassalador não é mesmo? Com certeza é um dos maiores presentes da vida encontrar a pessoa que te faz esquecer o mundo. Mas, um dia você percebe que há uma bifurcação bem diante de vocês. Um quer seguir pela direita, o outro decide seguir pela esquerda. No primeiro momento, a história e a família, vencem. Só que vez ou outra a bifurcação reaparece e balança a relação.
Ambos sabemos que não somos mais aquelas pessoas do passado, que somos diferentes. E mesmo tentando seguir juntos, os nossos corações têm ritmos diferentes. Nos desencontramos! Como isto pôde acontecer? O que fizemos de errado? E agora? Tenha serenidade para tomar a decisão de seguir o seu caminho. Nem sempre a mudança é traumática. Você pode se surpreender. Há um mundo inteiro te esperando. Se permita! Se houver tristeza, virá aprendizados, se houver tempestade, há de chegar o dia ensolarado, se houver brigas, tardará e chegará à calmaria.
Depois de algum tempo você estará diante de você mesma. Se aproprie de você. Escolha ser feliz! Caminhe! A vida é para ser saboreada!

Posted on Deixe um comentário

No meio das pedras tinha um caminho

caminho

Daqui a quatro minutos você virá ao mundo. Uma menina que veio com uma história de vida que daria uma novela. Uma novela que pode e deve ser vista pelo lado positivo. Uma garota alegre, bagunceira, cheia de saúde, meio danada, cheia de energia (…). Esta é você. Será?! Talvez. E como você foi quando era adolescente? Não sei. Só sei que virou adulta, se apaixonou, teve dois filhos lindos, se desencontrou, se encontrou e agora busca o autoconhecimento.
Às vezes, encontrar-se consigo mesma é um dos momentos mais difíceis. Entender os traumas, os medos, os sonhos é com certeza uma das maiores viagens que podemos fazer. Uma viagem que mais parece estarmos dentro de uma montanha russa ou talvez de um trem. Mas, não podemos deixar que a vida nos leve para lugares que não queremos conhecer. O que fazer então? Pense como seria o teu dia perfeito. Uau! Que dia! E agora? Planeje-o! Siga o caminho do teu sonho. Não esqueça que mesmo que haja pedras há sempre um caminho. O teu caminho! Aquele que você escolheu.
Viva 2017!!! Um novo ano para todos nós.

Posted on Deixe um comentário

Me separei! A vida é feita de escolhas

sad-young-couple-holding-billboard-sign-break-love-heart

Fracassei? Claro que não. Deu certo (…) o tempo que durou. Olhe para trás e identifique as causas. O que faltou? Paciência? Cumplicidade? Sinceridade? Amizade? Entrega? Amor? São tantas variáveis, não é mesmo?! Sei que é difícil fazer este balanço e que, possivelmente, enxergar os reais motivos de uma separação pode ser doloroso. No início, normalmente, é traumático e sentimos muito medo. E que medo! Medo de ficar sozinha (o)! Medo de ser julgada (o)! Medo de nunca mais ter outra família. Ops! E não para por ai, pois a sensação de fracasso é avassaladora! Destrói a nossa autoestima. Deixa eu te falar algo importante: eu acredito que tudo tem um motivo de ser. O medo vai te fazer repensar, planejar uma nova vida, fazer escolhas com mais calma e segurança, vai fazer você se conhecer. E isto é fantástico! Este é o momento de fazer um checklist de quem você é e qual é o perfil de pessoa que você deseja ter ao seu lado. Não tenha pressa! Substitua o medo pelo autoconhecimento, assim, saberá seguir em frente. A vida segue!
Não esqueça: a felicidade não está ligada ao outro. Você é a maior responsável pela tua felicidade. Esteja em paz para entregar o seu coração para alguém que combine com o que você deseja.
Ficar sozinha ou acompanhada também é uma escolha. Então, escolha ser FELIZ!

Posted on Deixe um comentário

O que acontece quando corpos e almas se encontram?

couple-kissing-344327_w650

No passado, tive uma grande paixão. E quem não teve? Ele (a) foi um homem (mulher) que me fez viver a melhor viagem que pude experimentar quando pensamos em PAIXÃO. Eu arrepiava ao vê-lo (a), a barriga doía de tanta ansiedade, eu ficava nervosa (o) ao seu lado, eu sentia um calor que ia e vinha, eu sonhava com um futuro feliz, eu sentia vontade de congelar os MOMENTOS. Nossa! Eu pensava: como tudo isto pode ser possível? E me perguntava como eu conseguia sentir algo por alguém que não me enxergava. Não era fácil ser apaixonada (o) sozinha (o). Eh, época sofrida! Depois de um tempo percebi que por inúmeros motivos, o final feliz dos contos de fadas da Disney, jamais aconteceria, pois o “príncipe” (princesa) da minha história era livre (…), tinha a alma e o coração livres das convenções impostas pela sociedade. Muito jovem e cheio (a) de energia ele (a) sempre optou pela diversidade e por novas experiências. Como consequência, os corpos se desencontraram. Chorei! Porém, amadureci! E como a vida segue um fluxo natural, fui levada (o) a ter outras histórias – de contos de fadas, moderno. A (o) “princesa” (príncipe) se permitiu ter outras paixões, experimentou novos sabores, compartilhou momentos. Seguiu a vida SEMPRE em busca da felicidade e foi FELIZ intensamente. Viveu de corpo e alma cada NOVO momento.

Ops! E aquela antiga paixão? Guardou-a em uma caixinha bem escondida em algum lugar aí dentro de você? Ela ficou intacta? Ficou adormecida? Você vez ou outra passeou dentro da caixinha para relembrar os MOMENTOS que ficaram marcados na memória e na alma? Que emoção! Agora sem dor! Só as melhores lembranças. Fechar os olhos e sentir o perfume, ouvir a música, sentir o toque, o sorriso, o olhar (…) é uma SUPER viagem. Poder voltar no tempo da viagem de trem que nós nos permitimos fazer ainda jovens é com certeza um momento ÚNICO. Mas, por que relembrar uma PAIXÃO do passado? Já sei a resposta: Tudo foi ESPECIAL! Assim, tenho a certeza que a paixão nunca mais passeou pelo meu coração e revivê-la mesmo que apenas pelas lembranças me fez entender que a vida é uma caixinha de surpresas e tudo só acontece quando nos permitimos saborear a vida.